26.1.13

[Resenha] Serena - Ian McEwan


Título: Serena
Título original: Sweet Tooth
Autor(a): Ian McEwan
País: Reino Unido - Inglaterra
Ano publicação original: 2012
Editora: Companhia das letras
Páginas: 382




Quer comprar? Olhe aqui!

(5/5)


----------------------------------------------------------------------------------------------

Serena arrebatou meu coração.
Não do mesmo jeito que Reparação, foi realmente uma arrebatada, porque foi agradável até os encaminhamentos finais quando subitamente eu não consegui me controlar: estava apaixonada por Ian McEwan (Luara do Estante vertical resume bem tudo que eu senti quando diz que ao ler McEwan ja nos preparamos para um leitura singular)

----------------------------------------------------------------------------------------------

Serena é uma bonita jovem, realmente muito bonita, que adora ler. Ela lê efusivamente qualquer romance e acredita que seria feliz se tivesse ido cursar letras. Só que sua facilidade para os números faz com que a pressionem para o curso de Matemática em Cambridge, onde ela descobre que sua facilidade não era nenhum brilhantismo.
Eis que um romance com um professor a encaminha para uma carreira de espiã e agora ela tem uma missão durante a Guerra Fria na qual ela quer prosperar, mas também da qual quer se livrar.

Quem nos conta essa história é Serena. Começamos sendo apresentados a ela por ela mesma.
Ela nos conta brevemente sua infância que, segundo seu modo de ver, não foi especial. Porque ela quer realmente nos contar como ela arruinou sua vida com sua carreira de espiã.

Conhecemos sua família, sua relação com seus familiares e sua paixão pela leitura.
Descobrimos como ela acreditava que teria sido feliz com um pequeno curso de letras, porém que foi impulsionada pelo desejo feminista da sua mãe (a mulher de um bispo) a seguir com sua beleza e inteligência rumo a uma independência bem-sucedida que sua irmã dificilmente alcançaria.

Descobrimos que há uma diferença entre o que somos e o que os outros imaginam que seremos. E Ian McEwan é o autor que consegue trabalhar os personagens de modo que conseguimos compreender até mesmo quem jamais compreenderíamos na vida real.
Nós transitamos pelo ser dos personagens.

Passamos a conhecer a Serena na universidade, com sua 'liberdade' sem distinção que parece interessada unicamente em arranjar namorados. E uma moça lindíssima que sequer se dá conta de sua beleza parece não atrair exatamente o tipo de homem que esperaríamos. Ela atrai tipos ligeiramente estranhos. Inclusive o orientador de seu ex-namorado.
Este homem que envolve Serena no seu primeiro grande romance e a encaminha para a vida que ela terá. Um homem que foi envolvido com o Serviço de Segurança Britânico e pretende prepará-la para um emprego lá.
O que era de se esperar, acaba acontecendo. A mulher dele descobre o caso e ele abandona Serena sem rumo.
O único rumo que ela possuía o ligava a ele. E ela decide se conter e seguir adiante, acaba seguindo a carreira que Tony preparou para ela.

Essa carreira é diferente do que ela esperava, diante de um cotidiano sem graça, um leve romance com um colega de trabalho e a amizade com uma outra colega, Serena assume a missão de espiã com o objetivo de conseguir um escritor financiado pelo M15 que escreva sem saber dessa ligação.
Tudo dá certo, se não fosse a facilidade com que Serena tem para se envolver em romances. E, dessa vez, num incrível romance.

Os personagens são incríveis, e como eu já disse, novamente eu me derreto com a habilidade de McEwan trabalhá-los. Ele é um mestre.
No decorrer da leitura me pegava agoniada com o rumo que a história tomaria, afinal sabemos que algo deu errado já no início. Não sabemos o que deu errado ou o porquê.
Também me sentia compelida e sussurrar para Serena buscar outra vida, uma moça como ela não poderia continuar naquela mesmice. Ela só poderia continuar com aquilo até ela realmente se apaixonar. Porque é essa a sensação que eu tenho.

A história avança de modo morno. Uma leitura gostosa e bem mais fácil do que o outro livro do autor, embora sempre surjam vocábulos pouco esperados.
Os nossos sentimentos e nervos são menos exigidos também. Somos apenas mantidos em banho-maria. Serena é mantida assim durante muito tempo pelos outros. Só que ela mantém a própria vida assim, num 'deixe me levar' e com medo das atitudes que sabe que precisa tomar.

Só que o destino pode atuar de modo interessante nessa história. E essa é a graça de tudo. Bem como a grande surpresa reservada as minhas emoções no capítulo final. Algo que já me mostra o grande desempenho do autor para finais que criam uma confusão diante do que esperamos.


 Outras resenhas: Livros e bolinhos (uma opinião com a qual me identifiquei muito), Livros e citações traz uma resenha curta que resume bem vários pontos altos da história, Cultivando a leitura nos dá a opinião de quem teve impressões contraditórias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team